Atualmente, o volume de produção da informação cresceu tanto quanto a capacidade técnica de armazenamento e os meios, através dos quais a informação se dissemina, alcançam os sujeitos nos mais diversos espaços e tempos. O advento das mídias sociais e a proliferação de dispositivos móveis e ambientes de conexão  (redes wi-fi, 3 e 4G) aumentaram ainda mais a quantidade de informação a que estamos expostos.

Dessa forma, pensar a relação estabelecida pelos sujeitos com a informação, na contemporaneidade, é fundamental e tem originado diversos estudos e pesquisas, como o conduzido por pesquisadores do Max Planck Institute for Intelligent Systems & Software Systems: “Information Overload in Social Media and its Impact on Social Contagions.”

Tendo como base o Twitter, os pesquisadores realizaram pesquisa quantitativa na qual os elementos principais de análise foram: os tuítes enviados, os recebidos e, dentro desta relação, quais foram os tuítes que os usuários consideraram reenviar para sua rede de contatos/seguidores. Em linhas gerais, o objetivo é caracterizar o fenômeno do excesso informacional e seu impacto na disseminação de informações no contexto de uma rede social.

Para saber mais, clique aqui.

 

twitter_pesquisa