Professora da PUC alerta para mitos e realidade da energia fotovoltaica

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/50683970″ iframe=”true” /]

.Esta semana, no dia 20, a PUC Minas recebeu um pioneiro e um dos maiores pesquisadores da área da energia solar fotovoltaica em todo o mundo, o engenheiro eletricista estadunidense Lawrence Kazmerski.

Mineirão Solar – O Governo de Minas quer instalar na cobertura do estádio Magalhães Pinto (Mineirão) uma usina de geração de energia fotovoltaica. A energia elétrica produzida, se tudo correr como planejado, deverá abastecer o estádio e também ser integrada à rede de distribuição da Cemig. Imagem: GMP/GPAA

Diretor executivo de Parcerias em Ciência e Tecnologia do National Renewable Energy Laboratory (NREL), laboratório do Departamento de Energia dos Estados Unidos, o PhD veio firmar parcerias entre sua instituição, a PUC e outras entidades mineiras, inclusive com o governo estadual.

Quem diria: especialistas preveem aumento da geração de energia elétrica por meio de painéis como esse, capazes de transformar a energia dos raios solares (fótons) em energia barata e ecologicamente correta – Foto: www.shattock.com

Kasmerski também aproveitou e proferiu palestra gratuita e aberta ao público sobre as perspectivas técnicas e os aspectos sociais do uso da energia solar.

Como ele só fala inglês, a gente conversou com sua anfitriã, a professora Antônia Sônia Alves Cardoso Diniz, coordenadora do Grupo de Estudos em Energia (Green) da PUC Minas, que gravou para o Ondas da Ciência (#30).

Neste post, a pesquisadora mineira explica como a energia elétrica se forma a partir da luz do sol e fala de alguns aspectos que ela e os cientista chamam de mitos, além de também apontar as perspectivas futuras para o uso desse tipo de geração de eletricidade.

Na semana anterior Sônia Diniz proferiu palestra sobre o assunto em um dos eventos que integraram a conferência Rio+20: “Energias limpas são alternativa importante”, destaca, lembrando a necessidade de se conhecer mais a respeito.

Biografia de Lawrence (Larry) Karmerski (In english)

Trilha sonora: Free Royalty Free Kevin MacLeod At Incompetech

Atualizado em 24/06/2012

Compartilhe nas redes sociais
0Shares
Tags: , , , , , , , , , , , ,

Um comentário em “Professora da PUC alerta para mitos e realidade da energia fotovoltaica

  • 25 de junho de 2012 em 13:36
    Permalink

    Olá Marcus Vinícius! A Alemanha é hoje o País que possui o maior mercado de fotovoltáicos do Mundo e a maior geração de energia elétrica da Europa e o objetivo é de que até 2020, as energias alternativas correspondam a até 35% de toda a energia gerada no País e até 2050, chegar a 80%. Para isso, o País investe 3,5 bilhões de Euros por ano em pesquisa e ampliação do parque energético. O objetivo é investir na criação de novas e eficientes formas de aproveitamento das fontes renováveis e torná-las mais acessíveis. Aqui, Energia Alternativa não é tratada como Utopia Verde ou “papo de ambientalista”. Aqui, o tema é tratado como estratégia de desenvolvimento econômico é encarado como importante, rentável e bem real no dia a dia das pessoas. Em Berlin, é possível ver painéis de captação solar sendo utilizados em prédios públicos, atrativos turísticos, terminais eletrônicos de locação de bicicletas e tickets de trem. Nos arredores da cidade, pude ver indústrias cercadas por centenas de metros quadrados de painéis fotovoltáicos, no que acredito, seja uma medida de compensação pelas emissões de CO2. Além disso, aproveitando os verdadeiros corredores de ventos vindos do Mar do Norte, os campos de geração de energia eólica chamam a atenção em meio a paisagem, pelo tamanho e até pela beleza dos equipamentos. Pelo que vejo aqui, o sonho de um planeta movimentado somente por energia limpa, ainda está um pouco distante, mas a viabilidade das alternativas já é realidade.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *