A pesquisa tem como um dos autores o professor Marcos Heil Costa, do Departamento de Engenharia Agrícola da UFV (Universidade Federal de Viçosa), repercutiu nas páginas de ciência dos mais importantes jornais do mundo no final de março.  Os pesquisadores usaram imagens da Floresta produzidas pelos satélites da Nasa nos últimos dez anos para concluir que a seca na Amazônia  reduziu o viço de cerca de 2,5 milhões de quilômetros quadrados da vegetação. A área é quatro vezes maior que a que foi atingida pela seca de 2005, até então considerada a mais severa.

A partir de imagens geradas pela Nasa o professor Heil da UFV  estudou a produção de CO2 das árvores da Floresta Amazônica e pode concluir que a seca de 2010 diminuiu a capacidade das plantas fazerem fotossíntese o que traz conseqüências negativas para o meio ambiente, já que a Amazônia é responsável por 15% da taxa de carbono do mundo.

Confira notícia publicada na página da UFV.